Arquivo de junho, 2012

_LogoSOSTER_TIVladimir Soster – SRTE-RO 1060
Me siga no Twitter
Me siga no Facebook

Segundo a empresa, a maioria das pessoas já deixou o recurso de lado no Windows 7.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Muitas pessoas têm estranhado a interface do Windows 8, primeiro porque a Metro é completamente diferente de tudo o que já foi visto antes no sistema. Depois, porque a Microsoft eliminou o botão Iniciar da Área de trabalho. Dezessete anos depois de marcar o lançamento do Windows 95, o recurso foi deixado de lado.

Embora muitos tenham dito que a Microsoft só fez isso para forçar as pessoas a se acostumarem com a nova interface, essa não é a versão oficial da empresa. De acordo com Chaitanya Sareen, um executivo da empresa, a medida foi tomada principalmente porque as pessoas simplesmente pararam de usar o botão Iniciar:

Oportunidade para se renovar

“Quando nós desenvolvemos a barra de tarefas, vimos uma crescente adoção da fixação dos aplicativos nela. Depois disso, a utilização do botão Iniciar diminuiu drasticamente. Isso nos abriu uma oportunidade: o que fazer para ampliar a experiência de uso e reinventar o botão Iniciar? Como dar nova identidade e devolver o poder a ele?”, questiona Sareen.

“A opção foi desenvolver a Metro, onde é possível fixar os aplicativos livremente, sem a necessidade de recorrer a uma imensidade de menus — um dentro do outro — como era antes”. Sareen também declarou que a interface Metro não funciona melhor em telas de toque do que com o mouse. Segundo ele, a experiência de uso é fantástica em qualquer uma das opções.

_LogoSOSTER_TIVladimir Soster – SRTE-RO 1060
Me siga no Twitter
Me siga no Facebook

Saiba como continuar utilizando o Windows XP após receber
a mensagem de aviso.

Por André Luiz Pereira – TECNOMUNDO


(Fonte da imagem: Divulgação / Microsoft)

Apesar de já ter uma data de validade anunciada, o Windows XP ainda é um dos sistemas operacionais mais usados, e seus usuários não pretendem deixá-lo tão cedo. Por isso, ainda existem aqueles que, ao utilizarem um computador com o XP, recebem mensagens de erro ou avisos da Microsoft em relação ao SO.

Uma das mensagens que algumas pessoas podem receber é a de que a cópia do Windows não é original. Uma solução para esta mensagem é incluir uma chave de ativação válida para o sistema operacional, mas, em alguns casos, se o problema persistir, você pode removê-la.

Entendendo a atualização KB905474

O Windows XP, assim como versões mais atuais do sistema operacional, realiza atualizações de segurança através da internet. Essas atualizações podem ter como função fechar brechas de segurança ou consertar alguns bugs encontrados no sistema.

Uma dessas atualizações tem o nome de KB905474. Ela, na verdade, serve para realizar uma varredura no sistema operacional checando as chaves de ativação dele. Caso a key utilizada no seu computador esteja ativada em mais de um computador ao mesmo tempo, a mensagem de que a cópia do Windows pode não ser original será exibida.


(Fonte da imagem: Reprodução / Clube do Hardware)

Isso acontece porque foi instalado no SO o Windows Genuine Advantage, que sempre realizará a varredura no computador em busca de chaves de ativação que já estão em uso ou estejam em alguma blacklist da Microsoft.

Notem que, mesmo com o aviso, o Windows ainda deve funcionar, podendo, em alguns casos, apenas retirar o papel de parede que você havia escolhido, deixando uma tela preta com um aviso de que você pode não estar utilizando um software original.

Retirando a mensagem de alerta

Digamos que você recebeu a mensagem de aviso e não tem como incluir uma chave válida para o Windows XP. Como proceder? Para resolver esta situação, você precisará do seguinte aplicativo:

— RemoveWGA

Depois de baixar o aplicativo, execute-o normalmente no seu computador. Como o próprio nome do programa indica, o RemoveWGA retira a atualização KB905474 (e, subsequentemente, o Windows Genuine Advantage).


(Fonte da imagem: Reprodução / Baixaki)

Isso deve resolver a questão das mensagens, mas não significa que o sistema não poderá trazer o WGA novamente na próxima atualização. Portanto, você deve realizar uma configuração que deverá ficar ativada dessa forma até o momento que você incluir a chave original do Windows XP.

Configurando as atualizações do sistema operacional

Conforme comentamos, a mensagem de alerta faz parte de uma atualização do Windows XP. Com o RemoveWGA, você a retira do computador, mas, na próxima vez que o sistema de atualizações do Windows operar, ela retornará à sua máquina.

Para evitar que isso aconteça, é necessário que você modifique a forma como o seu computador é atualizado. Provavelmente, seu PC está configurado para atualizar automaticamente quando conectado à internet.

Vá até o Painel de Controle e selecione Sistema. Nas propriedades do sistema, escolha a aba “Atualizações Automáticas”. Ali, mude a opção de atualização automática e escolha a opção “Avisar, mas não fazer o download nem instalá-las automaticamente”.


(Fonte da imagem: Reprodução / Clube do Hardware)

Agora, sempre que o Windows XP precisar atualizar, você será avisado e terá a opção de permitir ou não o download da atualização. Além disso, você poderá escolher exatamente quais delas serão baixadas. É aqui que você pode barrar, por um tempo, o WGA.

Eventualmente, será solicitada a instalação da atualização KB905474. Desmarque a caixa de seleção dela e feche a janela. O Windows deve mostrar, então, a opção de não exibir mais avisos sobre aquela atualização específica. Caso faça isso, o WGA não será mais instalado no seu computador.

No momento, a Microsoft conta apenas com esta ferramenta para verificação de chaves de ativação do Windows, mas nada impede que outras formas apareçam.

_LogoSOSTER_TIVladimir Soster – SRTE-RO 1060
Me siga no Twitter
Me siga no Facebook

 

Saiba quais versões dos sistemas operacionais da Microsoft poderão ser atualizadas.

Por Renan Hamann – TECNOMUNDO

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Se você está pensando em partir para o Windows 8, mas não quer abrir mão da licença do sistema operacional que utiliza atualmente, a Microsoft está com planos de upgrade bem interessantes. Ainda não foram revelados os preços que serão cobrados pelas atualizações, mas já se sabe quais são os usuários que poderão contar com a novidade.

Vale dizer que não são todos os usuários que poderão realizar o procedimento, uma vez que apenas montadoras selecionadas pela Microsoft liberarão os kits de atualização – e os nomes devem ser revelados nas próximas semanas. Confira agora quais são as versões do sistema operacional que serão autorizadas para o upgrade.

  • Windows 7: versões Starter, Home Basic e Home Premium (mantendo documentos, aplicativos e configurações). Versões Professional e Ultimate terão direito ao Windows 8 Pro;
  • Windows Vista: existindo o SP1 instalado, todos os dados e configurações serão mantidos, não havendo apenas os dados serão salvos;
  • Windows XP: somente versões com SP3 instalado (apenas dados serão mantidos).

Segundo o ZD Net, a Microsoft não vai permitir que os usuários façam troca de plataforma. Ou seja, quem possui sistemas operacionais 32-bits não poderá trocar para o modo 64-bits. Outra informação é referente aos preços baixos para quem comprar um computador com Windows 7 entre junho deste ano e janeiro de 2013: apenas 14,99 dólares.

_LogoSOSTER_TIVladimir Soster – SRTE-RO 1060
Me siga no Twitter
Me siga no Facebook

A build final da nova plataforma já estaria entrando no processo de finalização, mostrando que a empresa está com o seu planejamento em dia para lançar o
SO em outubro.

Por Fernando Daquino – TECNOMUNDO


(Fonte da imagem: Divulgação/Microsoft)

Segundo o site Neowin, com informações do fórum Wzor, a Microsoft já começou a compilação da versão final do Windows 8. Listado como Release to Manufacturing (RTM), a build de lançamento da plataforma seria a 8500.0.120623-1707. Ao que parece, a empresa de Redmond está com o seu planejamento em dia para o lançamento do novo sistema operacional em outubro.

_LogoSOSTER_TIVladimir Soster – SRTE-RO 1060
Me siga no Twitter
Me siga no Facebook

Recurso, rebatizado como File Explorer, faz parte da estratégia da empresa, que pretende diferenciar o novo sistema operacional.

Por Felipe Gugelmin

(Fonte da imagem: Reprodução/Win8China)

Ao que tudo indica, a Microsoft não estava brincando quando afirmou que a versão final do Windows 8 reserva muitas surpresas aos consumidores. Além de matar o Aero e abandonar o botão Iniciar, a empresa também deve deixar de usar o nome Windows Explorer, que será substituído pelo File Explorer.

A descoberta foi feita pelo site Win8China, que teve acesso a um dos builds mais recentes do novo sistema operacional. A mudança não deve ter reais reflexos na maneira como o recurso funciona, sendo somente um jeito de a empresa reforçar o fato de que sua nova plataforma pouco tem a ver com as anteriores.

No entanto, essa não é a primeira vez que o nome “File Explorer” é usado pela companhia — esse era o nome que a empresa deu ao sistema que permitia criar pastas e gerenciar arquivos e diretórios nas versões do Windows anteriores à 95.

_LogoSOSTER_TIVladimir Soster – SRTE-RO 1060
Me siga no Twitter
Me siga no Facebook

 

Novidades visam ampliar desempenho, eficiência e extensão. Entenda como a Microsoft vai oferecer um sistema ainda mais evoluído.

Por Fabio Jordão / TECNOMUNDO

O lançamento do Windows 8 está próximo e, com o sistema quase pronto, a desenvolvedora está mostrando resultados e melhorias. Segundo postagem no blog Building Windows 8, da rede MSDN, as mudanças não se resumem apenas à remoção da interface Aero Glass ou a alterações no Windows Explorer.

(Fonte da imagem: Reprodução/Windows Blog)

O foco do novo Windows é oferecer uma experiência aprimorada em entretenimento. Assim, a Microsoft investiu em recursos que melhoram a performance, a usabilidade e a praticidade. Isso quer dizer que o sistema já vem com codecs embutidos, suporte aprimorado para hardware e novidades que vão garantir bons resultados no cotidiano.

Processamento avançado, economia garantida

A primeira comparação realizada pelo Building Windows 8 visa exibir a melhoria do sistema no uso do processador durante a reprodução de vídeos. São três cenários: decodificação de arquivo WMV, processamento de filme com codec H.264 e pré-visualização de webcam.

(Fonte da imagem: Reprodução/Building Windows 8)

Como você pôde ver, o Windows 8 é capaz de realizar as tarefas usando muito pouco do processador. O melhor resultado é para exibição de imagens de webcam, em que o sistema requisitou apenas 8% da CPU, enquanto o Windows 7 necessitou de 27% do poder do chip.

Segundo a postagem oficial, esses resultados serão possíveis apenas em computadores com hardware certificado, mas as melhorias devem garantir rapidez e economia de energia. A mesma técnica utilizada para acelerar a execução de vídeos também será aplicada no processamento de arquivos de áudio.

Quanto à economia de energia, a Microsoft informa que o Windows 8 vai deixar o processador dormindo por um bom tempo, visto que o processamento de arquivos será realizado em grandes lotes — com buffers maiores. Assim, a CPU precisa demandar poder por um tempo prolongado, mas depois pode reduzir o consumo de energia, aumentando a autonomia.

Contornando problemas de atraso

A ideia de utilizar grandes lotes de dados é interessante, mas a própria Microsoft informa que o recurso não é ideal para todas as ocasiões. No caso de videochamadas, por exemplo, é necessário executar tudo de forma rápida, com baixas latências. E, pelo que foi informado no blog da MSDN, o Windows 8 traz uma série de melhorias para se adaptar às situações.

Existe um padrão em telecomunicações que especifica a latência máxima que uma chamada com vídeo pode atingir. O valor de 145 ms é utilizado para que as pessoas não sintam problemas de atraso nas chamadas. Usando essa métrica, o blog Building Windows 8 mediu os resultados do sistema. Detalhe: os valores incluem atraso de captura, de codificação e de rede.

(Fonte da imagem: Reprodução/Building Windows 8)

Como você pôde conferir nas colunas vermelhas, o Windows 8 trabalha muito bem até com chamadas de vídeo em 1080p, conseguindo atender ao padrão americano — linha verde no gráfico. As colunas azuis servem como base de referência, mas, na verdade, são valores que indicam as latências na hora de reprodução comum de vídeos.

Muitos codecs a bordo!

Uma das preocupações da Microsoft diz respeito à experiência multimídia com o novo sistema. Pensando nisso, a desenvolvedora incluiu o suporte nativo para alguns formatos de vídeos. Isso não quer dizer que você estará livre da instalação de programas adicionais, pois o Windows 8 não suporta mídias codificadas com MKV, FLAC e outros. Confira a tabela:

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/Building Windows 8)

Você pode estar sentindo falta de alguns codecs e extensões importantes. Contudo, como explicado no Building Windows 8, alguns formatos atuais (como o Divx, o Xvid e o MOV) podem ser executados perfeitamente no sistema, visto que são baseados no formato MPEG-4.

Esses tipos de vídeos poderão ser reproduzidos com facilidades em apps que usem a interface Metro. Vale ressaltar que muitos clipes vão requisitar aceleração por hardware. Isso pode ser ruim para quem não possui componentes compatíveis, porém a medida visa beneficiar a experiência geral, pois os clipes serão reproduzidos de forma rápida e com boa qualidade.

Filmes na web

No Brasil, a distribuição de filmes digitais ainda é bem tímida, porém em outras nações ela já está bem difundida. O Windows 8 trará recursos para melhorar a reprodução dos vídeos, como o streaming com taxa de amostragem adaptável. E o que é isso? É um adicional que regula a qualidade do vídeo conforme o estado da conexão e o ponto de reprodução.

Basicamente, quando você inicia a reprodução, a qualidade pode ser reduzida para que o sistema realize um armazenamento prolongado do arquivo. Da mesma forma, o software verifica o sinal da sua conexão com a internet e altera a taxa de amostragem caso a rede esteja lenta. Essas medidas garantem a reprodução contínua e a melhor qualidade possível.

O Windows 8 também vai trazer uma nova ferramenta para garantir a proteção do conteúdo. O PlayReady é uma tecnologia que vai verificar a autenticidade de arquivos baixados e reproduzidos nos serviços parceiros da Microsoft. Pode não ser um grande benefício para os consumidores, todavia, significa que você vai ter certeza de que seus arquivos são legítimos.

(Fonte da imagem: Reprodução/Building Windows 8)

Como a web está migrando para o HTML5, o Windows 8 já vem preparado para reprodução de vídeos diretamente no Internet Explorer 10. O sistema traz um player de vídeo moderno e recheado de recursos. Segundo as informações oficiais, é possível ativar legendas e reproduzir diferentes faixas de áudio.

Áudio, câmera e 3D

Há uma novidade do Windows 8 que pode ser interessante para quem passa o dia escutando música e navegando no YouTube. O sistema trará um recurso para alternar entre as faixas de áudio em reprodução, ou seja, quando você apertar o play na web, o som do Windows Media Player será pausado. Como isso não é útil para todos, é possível escolher as situações em que a ação deve ocorrer de forma automática.

 (Fonte da imagem: Reprodução/Building Windows 8)

Outro diferencial do sistema está na reprodução de arquivos capturados com câmeras e filmadoras. O Windows 8 foi programado para trabalhar com metadados em arquivos MP4, ASF, WMV e outros. Você pode capturar vídeos no tablet e no smartphone em qualquer posição e o sistema vai identificar a orientação correta — ou seja, não é preciso virar a cabeça ou o monitor.

Por fim, vale frisar que o novo sistema da Microsoft trará suporte para a reprodução de clipes 3D. Não que as atuais versões do Windows não façam isso, contudo, vale salientar que tal característica será nativa e depende apenas de um chip compatível com o DirectX 10. O Windows 8 pode trabalhar com diferentes técnicas de vídeo tridimensional.

Em breve!

São muitos recursos, mas o sistema deve surpreender ainda mais. O Windows 8 ainda tem cartas na manga, porém a Microsoft vem liberando informações aos poucos.

_LogoSOSTER_TIVladimir Soster – SRTE-RO 1060
Me siga no Twitter
Me siga no Facebook

 

Novidades visam ampliar desempenho, eficiência e extensão. Entenda como a Microsoft vai oferecer um sistema ainda mais evoluído.

Por Fabio Jordão / TECNOMUNDO

O lançamento do Windows 8 está próximo e, com o sistema quase pronto, a desenvolvedora está mostrando resultados e melhorias. Segundo postagem no blog Building Windows 8, da rede MSDN, as mudanças não se resumem apenas à remoção da interface Aero Glass ou a alterações no Windows Explorer.

(Fonte da imagem: Reprodução/Windows Blog)

O foco do novo Windows é oferecer uma experiência aprimorada em entretenimento. Assim, a Microsoft investiu em recursos que melhoram a performance, a usabilidade e a praticidade. Isso quer dizer que o sistema já vem com codecs embutidos, suporte aprimorado para hardware e novidades que vão garantir bons resultados no cotidiano.

Processamento avançado, economia garantida

A primeira comparação realizada pelo Building Windows 8 visa exibir a melhoria do sistema no uso do processador durante a reprodução de vídeos. São três cenários: decodificação de arquivo WMV, processamento de filme com codec H.264 e pré-visualização de webcam.

(Fonte da imagem: Reprodução/Building Windows 8)

Como você pôde ver, o Windows 8 é capaz de realizar as tarefas usando muito pouco do processador. O melhor resultado é para exibição de imagens de webcam, em que o sistema requisitou apenas 8% da CPU, enquanto o Windows 7 necessitou de 27% do poder do chip.

Segundo a postagem oficial, esses resultados serão possíveis apenas em computadores com hardware certificado, mas as melhorias devem garantir rapidez e economia de energia. A mesma técnica utilizada para acelerar a execução de vídeos também será aplicada no processamento de arquivos de áudio.

Quanto à economia de energia, a Microsoft informa que o Windows 8 vai deixar o processador dormindo por um bom tempo, visto que o processamento de arquivos será realizado em grandes lotes — com buffers maiores. Assim, a CPU precisa demandar poder por um tempo prolongado, mas depois pode reduzir o consumo de energia, aumentando a autonomia.

Contornando problemas de atraso

A ideia de utilizar grandes lotes de dados é interessante, mas a própria Microsoft informa que o recurso não é ideal para todas as ocasiões. No caso de videochamadas, por exemplo, é necessário executar tudo de forma rápida, com baixas latências. E, pelo que foi informado no blog da MSDN, o Windows 8 traz uma série de melhorias para se adaptar às situações.

Existe um padrão em telecomunicações que especifica a latência máxima que uma chamada com vídeo pode atingir. O valor de 145 ms é utilizado para que as pessoas não sintam problemas de atraso nas chamadas. Usando essa métrica, o blog Building Windows 8 mediu os resultados do sistema. Detalhe: os valores incluem atraso de captura, de codificação e de rede.

(Fonte da imagem: Reprodução/Building Windows 8)

Como você pôde conferir nas colunas vermelhas, o Windows 8 trabalha muito bem até com chamadas de vídeo em 1080p, conseguindo atender ao padrão americano — linha verde no gráfico. As colunas azuis servem como base de referência, mas, na verdade, são valores que indicam as latências na hora de reprodução comum de vídeos.

Muitos codecs a bordo!

Uma das preocupações da Microsoft diz respeito à experiência multimídia com o novo sistema. Pensando nisso, a desenvolvedora incluiu o suporte nativo para alguns formatos de vídeos. Isso não quer dizer que você estará livre da instalação de programas adicionais, pois o Windows 8 não suporta mídias codificadas com MKV, FLAC e outros. Confira a tabela:

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/Building Windows 8)

Você pode estar sentindo falta de alguns codecs e extensões importantes. Contudo, como explicado no Building Windows 8, alguns formatos atuais (como o Divx, o Xvid e o MOV) podem ser executados perfeitamente no sistema, visto que são baseados no formato MPEG-4.

Esses tipos de vídeos poderão ser reproduzidos com facilidades em apps que usem a interface Metro. Vale ressaltar que muitos clipes vão requisitar aceleração por hardware. Isso pode ser ruim para quem não possui componentes compatíveis, porém a medida visa beneficiar a experiência geral, pois os clipes serão reproduzidos de forma rápida e com boa qualidade.

Filmes na web

No Brasil, a distribuição de filmes digitais ainda é bem tímida, porém em outras nações ela já está bem difundida. O Windows 8 trará recursos para melhorar a reprodução dos vídeos, como o streaming com taxa de amostragem adaptável. E o que é isso? É um adicional que regula a qualidade do vídeo conforme o estado da conexão e o ponto de reprodução.

Basicamente, quando você inicia a reprodução, a qualidade pode ser reduzida para que o sistema realize um armazenamento prolongado do arquivo. Da mesma forma, o software verifica o sinal da sua conexão com a internet e altera a taxa de amostragem caso a rede esteja lenta. Essas medidas garantem a reprodução contínua e a melhor qualidade possível.

O Windows 8 também vai trazer uma nova ferramenta para garantir a proteção do conteúdo. O PlayReady é uma tecnologia que vai verificar a autenticidade de arquivos baixados e reproduzidos nos serviços parceiros da Microsoft. Pode não ser um grande benefício para os consumidores, todavia, significa que você vai ter certeza de que seus arquivos são legítimos.

(Fonte da imagem: Reprodução/Building Windows 8)

Como a web está migrando para o HTML5, o Windows 8 já vem preparado para reprodução de vídeos diretamente no Internet Explorer 10. O sistema traz um player de vídeo moderno e recheado de recursos. Segundo as informações oficiais, é possível ativar legendas e reproduzir diferentes faixas de áudio.

Áudio, câmera e 3D

Há uma novidade do Windows 8 que pode ser interessante para quem passa o dia escutando música e navegando no YouTube. O sistema trará um recurso para alternar entre as faixas de áudio em reprodução, ou seja, quando você apertar o play na web, o som do Windows Media Player será pausado. Como isso não é útil para todos, é possível escolher as situações em que a ação deve ocorrer de forma automática.

 (Fonte da imagem: Reprodução/Building Windows 8)

Outro diferencial do sistema está na reprodução de arquivos capturados com câmeras e filmadoras. O Windows 8 foi programado para trabalhar com metadados em arquivos MP4, ASF, WMV e outros. Você pode capturar vídeos no tablet e no smartphone em qualquer posição e o sistema vai identificar a orientação correta — ou seja, não é preciso virar a cabeça ou o monitor.

Por fim, vale frisar que o novo sistema da Microsoft trará suporte para a reprodução de clipes 3D. Não que as atuais versões do Windows não façam isso, contudo, vale salientar que tal característica será nativa e depende apenas de um chip compatível com o DirectX 10. O Windows 8 pode trabalhar com diferentes técnicas de vídeo tridimensional.

Em breve!

São muitos recursos, mas o sistema deve surpreender ainda mais. O Windows 8 ainda tem cartas na manga, porém a Microsoft vem liberando informações aos poucos.